segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Teatro

     
Trazemos duas propostas para o teatro da Colônia de Férias deste ano. A primeira conta a história de uma família de um vilarejo do sertão do estado que muda de comportamento após a visita de um grupo de missionários na região. A segunda, tirado a personagem do “Semeador de Sonhos” da primeira história, que faz as vezes do narrador, ele volta nesta outra proposta como um contador de histórias, narrando os sonhos de Dom Bosco ou a vida de nossos santos salesianos.


1. CENÁRIO

     Nossa história se passa em um vilarejo do sertão. Lugar muito pobre, de vegetação típica da caatinga. As casas muito simples, geralmente de taipa.
     Como se trata de um vilarejo, as cenas estão abertas para acontecer em qualquer ambiente da colônia de férias, não necessitando, obrigatoriamente, de um cenário fixo onde aconteçam as apresentações todos os dias. Principalmente a segunda proposta, que é a do contador de histórias, reforçamos que pode acontecer em qualquer lugar: em uma quadra, no campo, em uma sala, no salão...
     Na necessidade de um possível cenário fixo (primeira proposta), a sugestão que deixamos é um ambiente doméstico. Uma sala de estar muito simples e rústica.


2. PERSONAGENS

     Como no ano passado, as personagens são abertas, podendo ser alteradas à realidade de cada colônia de férias. Personagens podem ser acrescentados também conforme à necessidade. Bom trabalho!


NOME
PERFIL
IDADE


SEMEADOR DE SONHOS
Personagem enigmático que peregrina pelas cidades e vilarejos, recolhendo da experiência popular os ensinamentos que motivam a elaboração dos sonhos, conduzindo as pessoas dos lugares por onde passa para uma experiência verdadeira da felicidade.


+/- 40 anos


MISSIONÁRIO(S)
Pode ser um ou um grupo. Eles trazem a Boa Nova de Jesus para o vilarejo, anunciando que o próprio Cristo está vivendo escondido entre os habitantes daquele lugar, sendo necessário a todos procurar descobrir quem é.


Adultos

DONA ESTER
Mulher guerreira, mãe de família, católica “beata”. Educa seus filhos na fé e reza para o seu marido mudar de vida.

+/- 40 anos


SEU PEDRO
Homem honesto, trabalhador quando sóbrio, mas que tem o vício do álcool. Quando embriagado, perde a cabeça, e não mede as consequências dos seus atos. Faz tudo pelos filhos, se necessário. Mas nunca demonstrou seu amor publicamente a eles.



+/- 45 anos



EMANUEL
Filho mais velho do casal. Dá sinais de que quer seguir o mesmo caminho do pai. Quer sempre estar com os amigos na farra. Não se importa com o convívio familiar. Ama muito sua mãe, mas tem alguns problemas com seu pai.


19 anos

MARÍLIA
Única filha mulher do casal. Dedicada aos afazeres da casa, ajuda sempre a sua mãe e cuida bem de sua avó materna, Matilde, que mora com eles há dois anos.

15 anos

PEDRINHO
Filho caçula. Menino danado, vive metido em confusões. Diz sempre o que pensa, e se enrola por falar fora de hora.

13 anos

DONA MATILDE
Mãe de Dona Ester. Senhora de saúde frágil que se aproveita de sua situação para brigar com o genro.

+/- 75 anos

JUDITE
Vizinha da família. Amiga de Dona Ester. Sabe da vida de todo o vilarejo. Sabe das coisas como ninguém;

+/- 40 anos

MARCOS
Esposo de Judite que trabalha na capital e prometeu buscar ela quando melhorasse de vida.

+/- 45 anos

AMIGOS DO PEDRINHO
Alguns personagens livres que participam ativamente apenas de uma cena. Nos outros dias podem ser figurantes nas pregações do missionário.

Adolescentes

OUTROS

Nosso teatro é aberto. Segundo a criatividade de cada trupe, outros personagens podem ser acrescentados à nossa história.

-



(PROPOSTA 2) : Como já dito anteriormente, esta segunda proposta consiste em contar "os sonhos de Dom Bosco", que podem ser realmente os sonhos que ele escreveu, a exemplo do primeiro dia ("Dom Bosco e o sonho dos 9 anos"), ou a história de algum santo de nossa família, concretização do grande sonho de Dom Bosco ("Dá-me almas e ficai com o resto"). Esse segundo teatro não substitui o primeiro no que diz respeito à temática da Colônia de Férias. Ele é um complemento para a proposta de oficina de santidade, exemplificando que é possível ser santo nos dias atuais. Ele pode ser encenado antes da oração final de cada dia. Os atos consistem em monólogos, histórias contadas pelo Semeador de Sonhos da forma mais livre e lúdica possível... fica a cargo da criatividade de cada um. Uma terceira proposta para o teatro, alternativa a essa, seria a leitura dos gibis de santidade juvenil salesiana, disponíveis em nossas casas.








Para saber mais sobre a santidade salesiana, acesse: SANTIDADE SALESIANA

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Acolhida e Orações dos Encontros

Para fazer download do arquivo em PDF, clique aqui


Desenho: Rodrigo Menezes
 Como já sabemos, o tema geral é "Caminhemos, na santidade, à luz do Senhor!

AMBIENTAÇÃO (SUGESTÃO): Um ambiente do semi-árido nordestino, com uma estrada de terra batida, com cactos à margem, iluminada por um sol bem forte. Pode-se colocar outros elementos das estradas do semi-árido nordestino, como uma casinha de taipa, uma cruz na beira do caminho, árvores e vegetação típica (chique-chique, juazeiro, umbuzeiro, etc). No chão pode-se espalhar pó de serralheria ou algo parecido com o pó da estrada.

Livros e símbolos ligados a histórias de vidas de santos (pessoas reconhecidas oficialmente  como tal ou que na propria comunidade ou história da humanidade tenham este reconhecimento). Santálias e mochilas, simbolizando caminhada e elementos que sugiram religiosidade (velas, crucifixo,terço, livro “Vida de Jovens” de São João Bosco)  podem complementar a ambientação.  

Se possivel, ser espaço fixo e bem decorado, isto é,  utilizar mesmo ambiente para todos os dias da Colônia de Férias.

Cada dia a oração e reflexão se baseia em uma bem-aventurança (clique e veja): 


1.    Bem-aventuradosos pobres de coração, porque deles é o reino dos céus.

2.    Bem-aventuradosos que choram, porque serão consolados.

3.    Bem-aventuradosos mansos, porque eles herdarão a terra.

4.    Bem-aventuradosos que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.

5.    Bem-aventuradosos misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

6.    Bem-aventuradosos puros de coração, porque verão a Deus.

7.    Bem-aventuradosos que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus! 

    CELEBRAÇÃO ESPECIAL 

Proposta de Atividades - Gincana


Para fazer download do arquivo em PDF das propostas de atividade, clique aqui

Proposta de Gincana 

IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS
“Quem não viu escrevia em 1907, dificilmente poderá fazer uma ideia do barulho, da despreocupação ingênua, dos jogos, da alegria daqueles recreios. O pátio era batido palmo a palmo nas corridas desenfreadas, e Dom Bosco era a alma de todos aqueles divertimentos, que ele queria e promovia, sentindo por ele imenso prazer. E os jovenzinhos sabendo que sempre que podia ele tomava parte em seus recreios e conversas, levantavam de vez em vez os olhos para o quarto do bom pai; e quando ele aparecia na sacada, explodia de todos os lados um grito de alegria”.
Para Dom Bosco, conservar-se sempre alegre era fazer um convite para brincar. Ele não gostava de ver jovens parados. Em todas as brincadeiras ele pedia a intercessão de Maria para que colocasse suas mãos à frente. Assim façamos nós ao iniciarmos estas brincadeiras, que Maria seja a grande intercessora junto aos dias de competição.

PROVAS:

1° DIA – FORMAÇÃO DE 4 EQUIPES SEPARANDO-AS POR CORES (cada equipe deve criar um grito de guerra para animação e escolher um líder para sua equipe).

2° DIA – 1° PROVA: LETRAS EMBARALHADAS
Letras embaralhadas – tempo 10 min – valor 20 pontos

Os grupos terão que arrumar as letras embaralhadas formando: os sete sacramentos e o nome dos 12 apóstolos

Os sete sacramentos

1. AIMOBST ____________________________________
2. REMOD ______________________________________
3. IURSTCAIEA _________________________________
4. ÇUNOÃ ODS RENEFMSO _______________________
5. ECNLIROÇICOAÃ ______________________________
6. AIMITNOOMR ________________________________
7. ONOÃÇCAMRIF _______________________________
Respostas: SACRAMENTOS – 1- Batismo, 2- Ordem, 3- Eucaristia, 4- Unção dos Enfermos, 5- Reconciliação, 6- Matrimônio, 7- Confirmação.

O Nome dos 12 apóstolos.

1. EPRDO _______________________________________
2. ATIOG _______________________________________
3. OJOÃ ________________________________________
4. REDAN _______________________________________
5. TAEDU _______________________________________
6. TMÉO ________________________________________
7. PIFLIE _______________________________________
8. ATROLBEUMO _________________________________
9. SUMETA _____________________________________
10. TGOAI _______________________________________
11. IMSOÃ ________________________________________
12. UDJAS ________________________________________
Respostas: DOZE APÓSTOLOS: 1-Pedro, 2- Tiago, 3- João, 4- André, 5- Tadeu, 6- Tomé, 7- Filipe, 8- Bartolomeu, 9- Mateus, 10- Tiago, 11- Simão, 12- Judas.
3° DIA - PERGUNTAS E RESPOSTAS
 1 min p/ cada – valor 5 pontos
As perguntas devem ser feitas em rodízio para que todos respondam as perguntas, intercalando entre um grupo e outro.

O Responsável providenciará 20 envelopes (pode ser aqueles envelopes de campanhas que sempre sobram) e em cada um, do lado de fora, numere os envelopes de 1 a 20. coloque perguntas diferentes dentro de cada um desses envelopes. Aqui vão algumas sugestões de perguntas:

1. Qual o nome dos Quatro evangelistas?
2. Qual o nome do padroeiro dos coroinhas, e o da sua paróquia?
3. Qual o momento mais importante da missa?
4. Qual o nome do local aonde são proclamadas as leituras?
5. Em que momento o sacerdote utiliza o Véu Umeral?
6. Em que momentos da missa é utilizado o incenso?
7. Qual a cor que representa a penitência?
8. Qual a finalidade da credencia?
9. Quem atravessou os israelitas a pé enxuto pelo mar vermelho?
10. Que grau de parentes o João batista tinha com Jesus?
11. Quando começa e quando termina o ano litúrgico?
12. Qual o nome do anjo que anunciou a Maria que seria a mãe de Jesus?
13. Qual foi o primeiro milagre realizado por Jesus em público?
14. Quais são os dois maiores mandamentos que Jesus nos deixou?
15. Em que ano e em que tempo litúrgico nós estamos?
16. Onde Jesus nasceu e onde Jesus morreu?
17. Qual o nome do livro que contem as leituras da missa?
18. Quantos livros tem a Bíblia?
19. Em quantos dias Deus criou o mundo?
20. A quem Deus entregou a tábua com os 10 mandamentos?


4° DIA – TEATRO COM TEXTO BÍBLICO
teatro - Tempo 15 min para preparar e 5 para apresentar – Valor 50 pontos

Dramatizar um trecho bíblico. Escolha algumas leituras e faça o sorteio das leituras para os grupos
ambas sugestões  são o texto das bem aventuranças
1 – Lc 6
2 - Mt 5

Cada grupo terá o Tempo de 15 min para ler o texto e preparar uma dramatização para apresentar para os demais componentes.

Ganha 50 pontos a apresentação que usar da criatividade, decorar melhor as falas e explicar melhor a leitura no final da apresentação.

5° DIA –  ÔNIBUS

É a versão em grupo da "Corrida das Cadeiras". Haverão duas equipes. Os integrantes de cada equipe ficam sentados em cadeiras, um atrás do outro, formando um ônibus (os ônibus devem estar bem separados um do outro). No JÁ, os participantes movimentam as cadeiras pra frente e começam a botar o ônibus pra andar. O objetivo do ônibus será cruzar a linha de chegada integralmente. A equipe que o fizer primeiro, vence.


6° DIA - QUEM É? (como se fosse mímica)

Material: Fichas com nomes de personagens ou fatos bíblicos, uma caixa ou envelope.
Preparo: Confeccionar fichas com os nomes ou fatos bíblicos.
Desenvolvimento: As crianças deverão estar dispostas em círculo. Uma delas retira uma ficha e deverá dar dicas sobre o personagem ou fato, para que os outros tentem adivinhar. O que acertar, retira aproxima ficha e dá as dicas.

7° DIA – CAÇA AO TESOURO BASEADO NO TEXTO DAS BEM AVENTURANÇAS (cada um faz uma adaptação de acordo com sua realidade)
A descrição da ultima prova se encontra nos links:

BRINCADEIRAS OPCIONAIS:
1) CORRIDA DA VASSOURA
Corre um representante de cada equipe nessa corrida só de ida. O objetivo é equilibrar uma vassoura na palma da mão enquanto correm. Se a vassoura cair antes da linha de chegada, o corredor volta ao início e começa tudo outra vez. Ganha quem cumprir a tarefa corretamente primeiro.

2) CORRIDA DE BRAÇO
Correm dois representantes de cada equipe. Serão feitos no chão dois riscos, cada um a exatos 2 metros de cada participante. Os participantes se apoiam um no ombro do outro, com os braços. O objetivo é empurrar o adversário e fazer com que ele ultrapasse o seu risco. Quem conseguir isso primeiro, vence a prova.

3) CORRIDA DOS SENTADOS
Corrida de ida e volta onde os participantes correm sentados e não podem usar as mãos pra nada. Na ida, vai de frente, na volta, vem de costas, ou seja, não pode virar. Ganha quem voltar primeiro.

3A) CORRIDA DE CADARÇOS
Corrida de duplas, de ida e volta, onde os participantes correm com os cadarços amarrados. Na ida, vai de frente, na volta, vem de costas. Não pode virar. Se cair, levanta e continua. Ganha quem voltar primeiro.

4) APERTO
Jogam duas equipes. Cada equipe deverá ficar em um retângulo riscado no chão. O Objetivo é fazer com que todos permaneçam nesse espaço por 30 segundos. Após esse tempo, a equipe que conseguiu deverá reduzir o espaço da outra, que terá menos espaço para colocar seus componentes. E assim o jogo prossegue até o retângulo ficar tão pequeno a ponto de ser impossível manter as pessoas lá, dando a vitória para a outra equipe.

5) TÚNEL
Jogam duas equipes com número de participantes iguais. Cada equipe formará um túnel, onde os participantes ficam um atrás do outro com as pernas abertas. É uma espécie de corrida. No "Já" do mestre, o último de cada fila deve passar por debaixo do túnel e ir para a frente. Depois, o último faz a mesma coisa. Desse jeito, o túnel de pessoas irá se distanciando para frente cada vez mais. Ganha o túnel que cruzar a linha de chegada primeiro.

6) MACACO CEGO
Duas equipes participam. Cada equipe escolhe o seu representante. O mestre faz um grande retângulo e, nele, desenha várias linhas. Os dois jogadores têm seus olhos vendados e o objetivo é sair do percurso e chegar até o final, sem pisar nas linhas. Como eles estarão vendados, a equipe pode ajudar. Quem pisar na linha volta pro começo, podendo tirar a venda nesse tempinho. Ganha quem sair do percurso sem pisar na linha.

7) CORRIDA AO CONTRÁRIO
Os corredores dão 15 voltas em um cabo de vassoura e correm de costas até a linha de chegada. Quem chegar primeiro, vence.

8) VASSOBOL
Dois rivais disputam para colocar a bola no gol adversário através de uma vassoura. Ganha quem fizer mais gols.

9) CEGOBOL
Futebol comum, só que todos os jogadores jogarão de olhos vendados. Ganha a equipe que fizer mais gols.

10) TOCA
Desenham-se várias tocas (círculos) em um espaço amplo. O número de tocas deve ser sempre um a menos do que o número de jogadores. Bem distante do terreno onde as tocas estão, os participantes, todos de mãos dadas, em roda, estarão rodando ao som de uma música animada. Quando a música parar, todos devem soltar as mãos, correr e sentar em uma toca. Quem não conseguir, é eliminado e apaga-se uma toca. Ganha quem sentar na última toca.

11) TOCA COOPERATIVA
As mesmas regras do “Toca” comum. O segredo do jogo é não eliminar nenhum participante, só tocas, ou seja, a cada rodada, você desfaz uma toca e ainda assim todos deverão entrar em uma toca, como puderem: no colo, deitado sobre os colegas etc... Neste jogo não há vencedores.

12) MINHOCA
É uma corrida de ida e volta, mas os participantes, ao invés de correrem, rolam pelo chão. Ganha quem chegar primeiro.

13) CORRIDA DE CADEIRAS
Corrida de trios. Cada trio é composto por duas pessoas que unem os braços e formam uma cadeira e um rei que irá subir na cadeira (união de braços). O objetivo é correr e descer o rei na linha de chegada. O trio que conseguir isso primeiro vence.

14) ESTOURA-BEXIGA
Todos participam. Cada jogador terá uma bexiga amarrada em seu tornozelo. O objetivo é estourar a bexiga dos adversários e proteger a sua. Ganha o último que ficar com a bexiga intacta.

15) REVEZAMENTO DOS RODADOS
Igual ao revezamento do atletismo, mas antes de correr é preciso dar 25 voltas em um cabo de vassoura. São 4 participantes por equipe e ganha a equipe cujo o último participante chegou primeiro. Se cair, levanta e continua.

16) BOLICHE CEGO
Jogam um participante de cada equipe. É um boliche comum, mas os participantes jogam de olhos vendados. O objetivo do jogo é derrubar o último pino, não importando quantos lançamentos foram, uma vez que quando um erra, é a vez do outro. Quem conseguir, vence.

17) SALTO EM DISTÂNCIA
Jogam dois representantes de cada equipe. Um participante salta e depois o seu adversário. Após isso, a distância aumenta. Se o participante for o primeiro a pular em uma distância e errar, deverá torcer para que o outro também erre, pois assim terá outra chance. Ganha quem conseguir saltar uma distância que o outro não conseguiu.

18) CORRIDA DE OBSTÁCULOS
Jogam dois corredores, que deverão percorrer uma distância e chegar ao fim, enfrentando obstáculos (os obstáculos serão pessoas curvadas). Quem cruzar a linha de chegada primeiro vence.

19) VÔLEI IMPROVISADO
O Jogo normal de vôlei, mas utilizando outro objeto no lugar da bola (balde, vasilha, almofada, mochila, alguma fruta ou legume...)

20) CESTINHA
Jogam duas equipes e dois ajudantes. A brincadeira funciona como um jogo de basquete, mas só há uma cesta, que na verdade são duas pessoas, de braços dados e abertos. Quem fizer uma cesta, escolhe alguém da dupla para substituí-lo na equipe e ele será a nova metade da cesta. A equipe que fizer mais cestas, vence a partida.

21) PEGADINHA DO ANIMAL
Entrega-se a cada participante um papel com o nome de um animal, sem ver o do outro. Em seguida todos ficam em círculo de mãos dadas. Quando o animal for chamado pelo coordenador, a pessoa correspondente ao animal, deve se agachar tentando abaixar os colegas da direita e da esquerda. E os outros devem tentar impedir que ele se abaixe. Obs.: todos os animais são iguais, e quando o coordenador chama o nome do animal todos vão cair de bunda no chão, causando uma grande risada geral.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Propostas de Atividades



GINCANA

OFICINAS DE ARTESANATO E DANÇA

OUTRAS PROPOSTAS (Cristoteca, sorvetada...)

Propostas de Atividades: Oficinas



Artesanato e Dança
- Artesanato –
“Senhor fazei-me instrumento da vossa paz!”
(S. Francisco de Assis)

Citação Bíblica:
“E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas,
Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.
Então veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.”
Jeremias 18:3-6

Descrição:
O artesanato é o próprio trabalho manual ou a produção de um artesão. O artesanato é tradicionalmente a produção de caráter familiar, na qual o produtor (artesão) possui os meios de produção (sendo o proprietário da oficina e das ferramentas) e trabalha com a família em sua própria casa, realizando todas as etapas da produção, desde o preparo da matéria-prima, até o acabamento. Ou seja, não havendo divisão do trabalho ou especialização para a confecção de algum produto, como acontece com mecanização nas indústrias. Em algumas situações, o artesão tinha junto a si um ajudante ou aprendiz.
Tipos: Pintura de tecido; Bordados em tecidos; Crochê; Decorações com recicláveis; Arte em Gesso; Produções em EVA; Mosaico;
Dica de Artesanato:
Bloco de Rascunhos em EVA
Materiais necessários
·         EVA branco, preto, laranja e vermelho;
·         Tesoura;
·         Lápis preto;
·         Tinta acrílica amarela;
·         Tinta dimensional branca;
·         Cola quente;
·         Bloco de papel;
·         2 tiras de ímãs;
·         Caneta de retro-projetor  preta;
·         Pincel Tigre No 2;
·         Par de olhos móveis
·         Moldes

Passo a passo
1 – Com lápis preto, transfira os moldes para as placas de EVA.
2 – Com uma tesoura, corte os moldes.
3 – Com o pincel No 2 e a tinta amarela, faça o contorno da cabeça da galinha.
4 – Com a cola quente, fixe o bloco de anotações na base preta do EVA.
5 – Cole a outra parte do EVA sobre a peça que acabou de fazer.
6 – Faça o mesmo com a cabeça e o chapéu da sua galinha.
7 – Com cola quente, fixe os olhos e o bico da galinha. Use a caneta para fazer os detalhes.
8 – Agora use a tinta dimensional para fazer pequenas bolinhas no corpo da galinha.
9 – Use cola quente novamente para fixar as tiras de ímãs horizontalmente no verso da galinha e espere secar por 30 minutos.


Dicas de Santidade:

O educador ajudará os seus educandos no aprendizado de que o trabalho realizado por eles é reflexo do trabalho carinhoso de Deus ao nos criar.
O aperfeiçoamento da criação pela Providência Divina na acontece acima e para além de nós. Deus convida-nos a colaborar no aperfeiçoamento da Criação. (CIC 307 – 308)

Inspirado no que dizia nosso querido São João Bosco, o educador irá na sua oficina colaborar para que seus educandos sejam bons cristãos e honestos cidadãos. Mas, como ser bom cristão e honesto cidadão produzindo algum artesanato?
1.    O bom cristão se identifica muito como uma pessoa orante e que procura sempre seguir o que Deus lhe diz através de Sua Palavra. Então, o educador pode fazer ou sugerir a leitura de algum trecho bíblico (inclusive, da citação já dada aqui), a cada dia; fazer uma breve oração durante a oficina; educar para que sejam evitados os “palavrões” e as ofensas entre os educandos.

2.    O honesto cidadão será apresentado nas oficinas de artesanato como aquele que cuida dos bens da criação, usando deles de forma consciente, somente para a produção de sua arte: evitando desperdícios de materiais; partilhando os instrumentos de trabalho com os demais que fazem parte de sua oficina; procurando sempre fazer ou produzir artesanato que contribua para o bem das pessoas. 

A vida em santidade se alcançará através dessas pequenas obras. Se sempre nos preocupamos em observar esses pequenos e importantes detalhes da nossa vida, com certeza, seremos santos. Como dizia a Madre Mazzarelo, quando costurava com uma amiga sua: “Que cada ponto seja um ato de amor a Deus”, assim também façamos da nossa oficina de artesanato um ato de amor a Deus. Que tudo o que fizermos nela, façamos com amor e dedicação, reconhecendo as limitações e as vitórias de cada um e agradecendo a Deus por tudo.

- DANÇA –
“Louvai ao Senhor com danças”.
(Sl 149-3)

Citação Bíblica:
Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor, cingido com um efod de linho.O rei e todos os israelitas conduziram a arca do Senhor, soltando gritos de alegria e tocando a trombeta. Ao entrar a arca do Senhor na cidade de Davi, Micol, filha de Saul, olhando pela janela, viu o rei Davi saltando e dançando diante do Senhor, e desprezou-o em seu coração. Voltando Davi para abençoar a família, Micol, filha de Saul, veio-lhe ao encontro e disse-lhe: Como se distinguiu hoje o rei de Israel, dando-se em espetáculo às servas de seus servos, e descobrindo-se sem pudor, como qualquer um do povo! Foi diante do Senhor que dancei, replicou Davi; diante do Senhor que me escolheu e me preferiu a teu pai e a toda a tua família, para fazer-me o chefe de seu povo de Israel. Foi diante do Senhor que dancei.
2 Samuel 6, 14-16. 20-21.
Descrição:
A dança constitui uma das mais antigas formas de expressões artísticas, assim como a musica e o teatro. A oficina de dança é voltada para pessoas com pouca ou nenhuma experiência nessa modalidade. Visa favorecer o desenvolvimento e conhecimento do corpo através da expressão, da linguagem, da música, da arte, cultivando valores cidadãos e cristãos.
A dança é um fenômeno universal. Acompanha os grandes momentos da vida, especialmente de festas; tornou-se um rito de lazer e de diversão na corte como no meio do povo e, mais recentemente, apareceu como um espetáculo muito apreciado seja sob a forma de balé clássico, seja sob a forma mais livre de balé moderno, com muitas trupes especializadas. Em quase todas as grandes culturas, a dança serve ou serviu, também, para expressar a dimensão religiosa do ser humano. Assim, a dança também faz parte da herança cultural de Israel, onde expressa o louvor e a alegria diante do Senhor: assim a profetisa Maria, com as outras mulheres, depois da travessia do Mar Vermelho ou Davi e toda a casa de Israel enquanto a arca do Senhor é conduzida a Jerusalém.
Tipos: Samba, Forró, Rock, Pagode, Funk, Ballet Clássico, Maracatu, Quadrilha, Frevo, Hip-Hop, Dança Litúrgica. 

Dica de Santidade:
Na oficina de dança, o educador procurará incentivar os seus educandos a tudo fazer na presença de Deus, inclusive ao dançar. Estar na presença de Deus é viver em santidade. Mas, como ser santo ao dançar?
Primeiramente, já sabemos que a dança nos ajudar a desenvolvermos e conhecermos o nosso corpo. Nós, cristãos cremos que o corpo é um templo do Espírito Santo, portanto, devemos cuidar dele com muito carinho e respeito. Se fizermos isso, estamos cuidando do templo de Deus e ficamos na presença Dele. Uma PRIMEIRA DICA de respeito para com o nosso corpo é evitar o uso de gestos obscenos, principalmente quando se dança um ritmo musical que exige algum grau de sensualidade nos passos. OUTRA DICA para dançar respeitando o seu corpo e permanecendo na presença de Deus é evitar o uso de trajes muito “curtos” ou que estimulem a nudez. MAIS UMA DICA que podemos dar é a de que sejam escolhidas músicas com letras educativas, que cantem a vida, o amor, a fé, a esperança, enfim, os bons valores, evitando os termos pejorativos, frases que evidenciem a violência, o desamor, o individualismo que impossibilita a boa convivência entre as pessoas, o prazer desregrado etc. Todos os ritmos e gêneros musicais possuem boas composições que podem ser usadas para a arte de dançar.
Por fim, a GRANDE DICA que apresentamos é a de que a nossa oficina de dança seja usada para o louvor e adoração a Deus através da Dança Litúrgica. A dança litúrgica é exatamente a dança ou expressão corporal, ou movimentos ritmados que fazem parte integrante da ação litúrgica. A dança litúrgica é influenciada por duas linhas principais: a dança litúrgica inspirada na cultura tradicional, onde são trabalhados ritmos da cultura popular, e a dança litúrgica que recorda um pouco mais a dança clássica ou dança contemporânea, e também de caráter mais teatral. Assim sendo, o educador pode escolher algumas músicas religiosas e trabalhar as coreografias delas durante a colônia de férias, para uma possível apresentação posterior.
Se todas essas dicas forem observadas, a vida se tornará muito mais feliz e santa, pois será possível dançar, se divertir, se desenvolver sempre na presença de Deus. O santo João Bosco já dizia: “Se quiserem que suas vidas sejam alegres e tranquilas, procurem viver na graça de Deus”.