sexta-feira, 23 de novembro de 2012

O ESPETÁCULO VAI COMEÇAR: Aprendendo a ser feliz

Este é o tema da Colônia de Férias 2013! Através do universo lúdico do circo, serão trabalhados valores cristãos e dimensões do ser humano. Na formação dos animadores, ressaltamos a Estreia de 2013, que tem como tema: "COMO DOM BOSCO EDUCADOR, OFEREÇAMOS AOS JOVENS O EVANGELHO DA ALEGRIA MEDIANTE A PEDAGOGIA DA BONDADE". Também ser improtante conehcer mais sobre o Sistema Preventivo e compreender sobre a Campanha da Fraternidade 2013: Fraternidade e Juventude ( "Eis-me aqui, envia-me").
o Subsídio traz a proposta de 7 encontros, mas de acordo com a dinâmica de cada local, eles podem ser trabahados em mais ou menos dias.

EIS A ESTRUTURA DE NOSSA CARTILHA: 
I. Apresentação..
II. Introdução - Orientações para o uso do subsídio..

III. Encontros com os animadores
a) O Sistema Preventivo...
b) Estreia 2013.
c) Campanha da Fraternidade 2013.


IV. Encontros:

1. O DESEJO DE FELICIDADE.
2. A BONDADE QUE ENSINA
3. A EXPERIÊNCIA QUE PROMOVE
4. O AMOR QUE HUMANIZA .
5. O TESTEMUNHO QUE CONSTRÓI
6. A ‘CORDA SENSÍVEL’ QUE ENCANTA
7. JESUS, A VERDADEIRA ALEGRIA...

V. TEATRO...
VI. Desenhos
VII. MÚSICAS


TEATRO 7º DIA: A VERDADEIRA ALEGRIA




(Antes desse texto, poderia ser encenada a música “Sonhos de um palhaço” – Ela encaixa no roteiro perfeitamente... dependendo das habilidades da trupe, ou do tempo disponível ao teatro, pode ser omitida a música)
OBS.: Entra no palco o palhaço Geleia, silencioso, triste, cabisbaixo... no fundo, a música tema do Cirque du Soleil, “Alegria”. Aos poucos toda a trupe vai entrando e fica atrás, olhando (tristes) o discurso de despedida do palhaço.
Palhaço Geleia: Deus, Senhor do meu destino... ouça a minha história... Sou um palhaço! Palhaço de verdade! Tenho pinta no nariz! Sou poeta da alegria, menestrel do sorriso, uma eterna criança. Mas, eu tenho que crescer, devo ser gente de verdade, devo arranjar um trabalho sério, devo usar terno e gravata. Então, eu vim aqui pra dar tchau... Dar tchau pra vocês, sapatos amigos (podem ser pantufas)... tá na hora de ir embora! Vão! Vão embora! Não quero mais vocês! Não quero... vai! Não é mais divertido escorregar com vocês! Deus, leva-os embora! (Joga-os longe) Se Deus por acaso devolve-las para mim, é porque é minha vocação! (Dois membros da trupe trazem de volta os sapatos do palhaço e entregam ao Geleia em silêncio).
(Enfático) O palhaço está na alma! (a trupe faz festa) Você pode ser palhaço sendo o que você quiser! O que importa é ser feliz! Agora sei que a verdadeira alegria está na alma! (O palhaço Formiguinha traz um crucifixo) É o próprio Deus! (Gritando em prece) Deus! Obrigado! (toda a trupe se une num grande abraço) Alegria! Alegria! Meus amigos (referindo-se aos membros da trupe), convido vocês para uma excelente tarde! O espetáculo não pode parar!
(Toda a trupe pode se apresentar nesse grande espetáculo, brincando com o público, fazendo mágicas, dançando, fazendo malabares... SEJAM CRIATIVOS! Divirtam seu público como sabem fazer, lembrando que a verdadeira alegria está em nossa alma, é o próprio Deus!)

TEATRO 6º DIA: A CORDA SENSÍVEL QUE ENCANTA



OBS.: Como nas primeiras cenas, entram todos os personagens brincando com o público enquanto toca uma música de circo. Ao chegar ao picadeiro, apenas o APRESENTADOR.

Apresentador: Alegria! Senhoras e senhores, crianças e jovens aqui presentes! Sejam todos bem vindos ao mundo do circo! Mistério?! Com vocês, o mágico!

(Para essa cena, consultar em http://ajsnordeste.blogspot.com.br/p/colonia-de-ferias.html alguns truques de mágica que devem ser ensaiados pelo ator. Enquanto a cena acontece, música de suspense)
OBS.: Terminadas as mágicas, sobe a música e entra em cena toda a trupe, brincando e se despedindo como nos outros dias. No palco, ficam os palhaços Geleia e Formiguinha para a mensagem final.
Palhaço Formiguinha: Sabe Geleia, em cada um de nós, por mais rebeldes que sejamos, tem uma cordinha que se souberem puxar, encontram o bem. No fundo, no fundo, todos os homens são bons! Ser bom é um dos passos fundamentais para ser feliz verdadeiramente. Deixar sair essa bondade do seu interior é encantar todos os que estão ao seu redor com o seu jeito de ser. É ser exemplo para os outros!

TEATRO 5º DIA: O TESTEMUNHO QUE CONSTRÓI



OBS.: Nesta cena, diferente dos outros dias, o espetáculo não começa de imediato. Antes, um diálogo de bastidores entre o Apresentador e o Palhaço Geleia.
(NO PALCO, O PALHAÇO GELEIA, MEIO TRISTE, DESANIMADO. MÚSICA DE FUNDO. ENTRA O APRESENTADOR).
APRESENTADOR: Que foi que houve Geleia? Algum problema? Está quase na hora de começarmos o espetáculo!
PALHAÇO GELEIA: Não estou com vontade de me apresentar! Não sou palhaço dos bons... Sou aprendiz de palhaço, nada mais.
APRESENTADOR: Tudo na vida é assim, meu jovem! Ninguém nasce pronto! Todo mundo precisa aprender a fazer as coisas... mas você já é muito bom! Acredite!
PALHAÇO GELEIA: Eu admiro muito o senhor. Não sente saudade dos tempos de domador de feras? Eram bons aqueles tempos... os leões, os elefantes, os tigres! Tudo muito mágico! Por causa de alguns que maltratavam os animais, todos nós perdemos o encanto de vê-los bem de perto, fazendo números incríveis... sem falar da bravura do domador!
APRESENTADOR: Ah, Geleia! Eu sinto muita falta sim, mas não é isso que vai me fazer infeliz... Quando eu era jovem, assim como você, tinha um temperamento muito forte. Antes de domar as feras, tive que aprender a me domar, a controlar os meus impulsos. Hoje, ajudo outros, a se encontrarem naquilo que gostam de fazer. Desde que meu pai morreu, cuido desse circo como se fosse ele mesmo. Nunca, ninguém me viu triste, ou reclamando da vida... pelo contrário... sempre procuro promover os talentos, revelando ao grande público as potencialidades que estão escondidas em cada um de vocês. Mas tá na hora de começar o espetáculo! Vamos!
PALHAÇO GELEIA: Sua experiência nos deixa mais seguros! Obrigado!
(SOBE A MÚSICA, ENTRA O APRESENTADOR)
APRESENTADOR: Respeitável público! Moças, rapazes, crianças! Vovô e vovó! Chegou a hora da alegria! Com vocês, os palhaços!
ESQUETE: Cinema mudo. Enquanto toca uma música, entram os palhaços e percebem no cenário uma cadeira enfeitada. O que fazer. São três palhaços e uma única cadeira. O que fazer? A palhacinha, por ser mulher, tem preferência. Os palhaços concordam. Ela escolhe o lugar para por a cadeira. Um dos palhaços coloca. Fazendo charme, na hora de sentar, diz que deve ficar do outro lado do cenário. Transferem a cadeira pra lá, e o mesmo acontece, tendo que mudar uma terceira vez de lugar. Por último, ela escolhe uma posição no meio do palco. Na hora de sentar, Geleia puxa a cadeira, deixando a palhacinha cair no chão. Enquanto ele se prepara para sentar, o palhaço Formiguinha puxa a cadeira da mesma forma, fazendo com que ele também caia. Por último, o Geleia puxa a cadeira do Formiguinha, e ele vai para o chão. O ciclo se repete até começarem a brigar e saírem correndo do palco.

TEATRO 4º DIA: O AMOR QUE HUMANIZA



OBS.: Como nas primeiras cenas, entram todos os personagens brincando com o público enquanto toca uma música de circo. Chegando ao palco, inicia-se a música “Carinhoso – Pixinguinha (em ritmo choro)”, os protagonistas no centro, os demais no canto. Essa cena consiste em um cinema mudo, um encontro “romântico” entre Geleia e a Bailarina.
ESQUETE: Entra em cena o Palhaço Geleia e a Bailarina. Toda a trupe está observando o que acontecerá com eles do canto do palco. Geleia chega, desajeitado, e ao sentar-se no banco em que a sua amada está acaba derrubando-a. O palhaço pede desculpas, trás uma Coca-Cola e diz, com gestos, que a metade de baixo é dele e a de cima é dela. E decide tomar primeiro... Ele toma todo o refrigerante e entrega a latinha à bailarina, que fica decepcionada. Percebendo a mancada, Geleia faz sinal para não se preocupar e mostra a rosa que trouxe pra ela. Ao entregá-la, puxa a flor, deixando apenas o talo na mão dela. Mais uma vez a decepção. Por fim, ajoelha-se implorando o perdão. Tira da roupa o coração de cartolina que trás e oferece à bailarina. Durante toda a cena, a trupe, que observa de longe, reage incentivando ou discordando das atitudes do Geleia, torcendo pelos dois.
OBS.: Terminando esta cena, saem todos suspirando... Ficam no palco o Apresentador e o Palhaço Formiguinha, que conversam, comentando o ocorrido.
PALHAÇO FORMIGUINHA: O amor é incrível! Não somente esse deles dois! Todas as formas de amor... O amor dos pais por seus filhos, dos filhos por seus pais... O amor entre os irmãos... O amor por aqueles que nos cativam, nossos amigos... O amor entre os casais... O Amor de Deus!
APRESENTADOR: Por que será que dizem que Deus é Amor?
PALHAÇO FORMIGUINHA: Não restam dúvidas, meu caro! Está mais que provado que não existe sentimento mais sublime, e que nos faça sentir mais humanos que o amor. Se Deus mesmo se fez um de nós para nos salvar, foi através de seu infinito Amor que isso aconteceu. Quando amamos alguém, estamos tendo para com ela sentimentos dignos do próprio Deus. Ele inteiro é Amor!
APRESENTADOR: Então, o amor é o motor de nossas vidas! Bem que dizem que “o homem não morre quando deixa de viver, mas sim quando deixa de amar”!
PALHAÇO FORMIGUINHA: “A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente...”. Mas nunca se esqueça de amar!
(ENQUANTO AUMENTA A MÚSICA, A TRUPE ENTRA BRINCANDO COM O PÚBLICO E SE DESPEDEM)

TEATRO 3º DIA: A EXPERIÊNCIA QUE PROMOVE



OBS.: PARA ESSE DIA, CONVIDAR UM GRUPO DE DANÇAS DO LOCAL PARA SE APRESENTAREM. LEMBRANDO QUE AS PERSONAGENS “BAILARINA” E “PALHACINHA” DEVEM FAZER PARTE NA DANÇA.
(Diferente dos outros dias, que a cena se inicia com o anúncio do apresentador, hoje, antes de entrar a Trupe para brincar com as crianças, somente as bailarinas que irão dançar entrarão em cena. Aqui tudo vai acontecer como se fosse um momento de ensaio, onde a nossa bailarina irá tentar ensinar os passos para as outras meninas, e corrigir a palhacinha, que faz tudo errado, incentivando-a).
BAILARINA: Vamos meninas! Está quase na hora de nossa apresentação! Precisamos rever os passos da dança!
PALHACINHA: Eu não quero mais dançar! Acho que vou fazer tudo errado como sempre!
BAILARINA: Calma! Você consegue! Eu sei! Vamos tentar?
(Começam então a ensaiar alguns passos, enquanto a música de circo começa a tocar e o apresentador entra pelo meio do público anunciando o espetáculo. Enquanto a atenção é desviada para o apresentador, o grupo de dança sai de cena e espera o anuncio para entrar para a apresentação)
APRESENTADOR: Respeitável público! Hoje, a beleza e o encanto tomarão o nosso palco!
(Apresentação de dança, tendo a bailarina e a palhacinha como componentes do grupo. Música à escolha. Após a dança, as meninas saem de cena, com exceto a palhacinha e a bailarina)
PALHACINHA: (Saltitando de alegria) Eu consegui! Eu consegui! Graças à sua ajuda, minha amiga!
BAILARINA: Muito bem! Eu disse que você conseguia! Quando temos um objetivo, traçamos nossos caminhos para conseguir chegar lá. Às vezes caímos, tropeçamos, mas com persistência, perseverança, alcançamos nossas metas. Nunca desista de seus ideais! Você ainda vai ser uma grande bailarina! Siga em frente!
(ENQUANTO AUMENTA A MÚSICA, A TRUPE ENTRA BRINCANDO COM O PÚBLICO E SE DESPEDEM)